Destaque para outras Almas Nuas

Cosméticos Profissionais

Blog Foco na Rotina

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Et Omnia Vanitas



((Tudo é vaidade))

Eu vi quando o espírito
Do pequeno corpo saiu...
Ele estava brilhante,
Com olhinhos radiantes,
Agradecido me sorriu...
*

Disseram-me:- Sacrifica-o!
Mas eu não sou Deus...
Fiquei bem ao seu lado,
Acompanhando seu estado,
Ouvindo os gemidos seus!
*
A vida debate-se insistente
Ela luta até o fim...
Continua persistente,
Cena comovente,
Vi aqui, diante de mim...
*
Eu não poderia...
Seria um desrespeito a vida
Sabia que ele morria...
Interrompê-lo não podia...
Mas a vida não queria ser impedida!
*
Eu fiquei assistindo
Cada grito de dor...
Não sentia nenhuma pena
Mantive-me serena,
Vibrava apenas amor!
*
Os espíritos ancestrais
Então se fizeram presente
Disseram que logo em breve
Na passagem do vento leve,
Ele estaria ausente...
*
Eu não pude mantê-lo vivo
Eu não pude dar-lhe a morte
Ele reagia e não desistia,
Valente insistia...
Escolhendo sua sorte!
*
A dor excessiva
Logo pararia o coração
Mesmo assim ele reagia
Às vezes se debatia...
Então fiz uma oração!
*
São tolos os que pensam
Ter domínio e ser mais forte
Ninguém tem o controle da vida
Nem mesmo um suicida...
Ninguém pode dominar a morte!
*
O que fazer então?
Diante dos percalços do caminho?
Reagir e insistir?
Arrumar uma desculpa? Fugir?
Ou construir o seu destino?
*
Eu não fui fraca em não sacrificá-lo
Enquanto há vida tudo pode acontecer...
Sou fraca por não imitá-lo...
Por muitas vezes ter me acovardado...
Por muito pouco já quis morrer!
*
*
-=Shimada Coelho=-
São Paulo, 22 de Novembro de 2008


Creative Commons License
Et Omnia Vanitas by Shimada Coelho is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja Bem vindo!
Obrigada por comentar!