Destaque para outras Almas Nuas

Cosméticos Profissionais

Blog Foco na Rotina

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Versos à Paixão


A vida perdeu o encanto...
Não enxergo mais as mil trilhas invisíveis no céu!
A voz encerrou o canto...
Do coração deixado ao léu!


O díficil...
O obstáculo...
A guerra...

Sempre foram meus sentinelas!
O desafio, meu troféu!
Mas a dor escapa pelas janelas...
Na boca um gosto de fel!

Nunca puderam preencher- me!
Nada parece derrotar o vazio!
A sensação da perda está a vencer- me...
Da saudade neste corpo vil!

Paixão que me torna relez mortal...
Que deseja... Murmúrios neste desatino.
Saudosa de um sentimento real,
Paixão era meu destino!

Despertei do sono depressivo...
O sonho apontou paixão!
Busquei por ti, o compreensivo...
Odiei- te ainda mais, coração!

És um dos fantasmas do passado
A assombrar em chamas infernais!
És uma das feridas abertas...
Que não cicatrizam jamais!

Tua lembrança são os meus pesadelos,
Aquela noite era mais uma noite qualquer...
Deslumbrou os negros e longos cabelos...
Cobrindo o corpo da menina mulher!

Aquele teu perfume envolvente...
Até hoje empregnado em mim...
Faz a única trilha...um rastro... carente...
Faz meus pensamentos por ti sem fim!

Como poderei esquecer...
Das mãos que me revelevam emoções?
Como apagar meu beber...
Dos teus beijos entre apertões?

Teu olhar sobre mim era eterno...
Como se fosse eu a mais bela das visões!
Teus gestos eram tão ternos...
A mais deliciosa das desilusões!

Me perseguiu inconformado...
Não compreendendo a imaturidade infantil...
Enquanto me buscavas por todo lado,
Eu fugia, caindo no profundo ardil!

Que roubou toda inocência...
Toda a doçura que te conquistou!
Deixando minha mente em demência...
E meu coração devastou!

Ah, Paixão! Houve sim uma última chance!
Meu corpo queria ser teu!
Naquele domingo esteve ao meu alcance...
Pelo meu ego, teu amor por mim morreu!

Hoje, eu trapo humano...
Perdida dentro de mim...
Meus caminhos mundanos...
Minha vida está por fim!

Toda minha alma te odiou!
Desprezei o que sentias!
Mas o amor sempre aqui ficou...
E em ti cada vez mais morria!


Alma Nua,Shimada Coelho, São Paulo, 7 de setembro de 2008, 17:00
em Recanto das Letras






Licença Creative Commons
A obra Versos à Paixão de Shimada Coelho foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja Bem vindo!
Obrigada por comentar!