Destaque para outras Almas Nuas

Cosméticos Profissionais

Blog Foco na Rotina

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Desassociando Educação de Boas Maneiras‏





Da cozinha, ouço o som da TV ligada no canal de esportes. O assunto é uma invasão de torcedores tentando agredir jogadores por causa do resultado de um jogo. Enquanto ouço, vejo as atualizações no perfil da rede social e me deparo com um pequeno lembrete: "Quando enviar seu filho para a escola, mande com ele a educação!".  Me deparo com um comentário que reflete todo baixo nível intelectual de quem comenta: "Ué, na escola não é o lugar de receber educação?".

É preciso desassociar: Educação escolar/acadêmica não é Boas Maneiras. O significado real da palavra 'educação' é: "Conhecimento e prática dos usos da gente fina.Instrução, polidez, cortesia.". Mas, como 'ensinar' corresponde à 'instruir',  a palavra passou a ser usada para determinar a instrução recebida nas instituições de ensino. O verdadeiro significado se perdeu tanto que, hoje em dia, podemos ver pessoas academicamente bem instruídas mas, nada polidas, corteses ou com bons modos. Educação (instrução pedagógica) se recebe sim nas escolas e universidades. Boas Maneiras se recebe em casa.

O Governo Federal deu algo a massa que cessou a justificativa de 'falta de oportunidade'. Agora, quem quer melhorar de vida pode estudar e consequentemente conseguir melhor colocação profissional. O resultado é que agora existe uma nova classe média. À ela foi disponibilizado oportunidade de ter uma vida melhor mas, não foi dado a ela o mais essencial que determina alguém realmente instruído e civilizado: Boas Maneiras. Como hoje em dia o mínimo gesto ou palavra pode ser considerado racismo ou preconceito, o que era antes uma minoria precisou aprender a conviver com a maioria que agora, pode ter os mesmos recursos que antes só estavam disponíveis para a antiga classe média que hoje, deve ter sido reclassificada como classe média alta. Nomes e rótulos à parte, a maioria irá se sobressair pois, é ela quem possuí um espírito de sobrevivência mais intenso. Muitos dos que foram criados dentro das normas das Boas Maneiras, se renderam aos novos padrões da sociedade que confundiu inclusão com igualdade em um mundo onde ninguém é igual a ninguém.

As pessoas estão se comportando tão mal fora de casa, que imagino como devem se comportar na própria casa. Acredite-me: sem Boas Maneiras você não tem como estar certo em alguma coisa... Sem modos, você perde a razão, perde o senso de limites e de ridículo. 

Invadir vestiário de estádio, danificar vagão do Metrô, colocar fogo em ônibus, não conservar patrimônios públicos com a desculpa que 'está pagando' só reflete total falta de modos. E uma pessoa sem modos sempre tem a oportunidade de revelar seu grau de ignorância. Desrespeitar autoridades e espaços públicos com a justificativa que paga por tudo isso prova o nível de bons modos. Criou-se uma falsa ideia de que, quem paga pode qualquer coisa, porque só quem paga pode ter o melhor e uma coisa nada tem a ver com a outra. Discutir aos berros utilizando palavras chulas e soltando fogos pelas ventas está sendo entendido como valentia, determinação, atitude e não: tudo isso só revela a completa falta de modos. Já vi e já comprovei: pessoas em discussão que mantém o equilíbrio no tom de voz conseguem despertar no outro mais ira do que se reagisse no mesmo nível. Manter o equilíbrio intimida muito mais do que se alterar e esbravejar feito um cão raivoso.

E a falta de educação, isto é, a falta de Boas Maneiras, ganhou uma lista extensa de desculpas esfarrapadas para continuar crescente entre nós: não se dá mais preferência para mulheres e idosos passar à frente porque compreendem como 'igualdade' dar a todos o mesmo tratamento que se recebe. Gritar e responder professores e diretores passou a ser um gesto de inconformismo, imposição de respeito e protesto quando na verdade é apenas falta de modos mesmo.  Aliás, ninguém que não saiba respeitar tem o direito de exigir respeito... Ser moderno e antenado é uma coisa... Ser educado é outra!

Após as refeições - ao sair da mesa - você coloca a cadeira no lugar? Você pega seu prato e o coloca na pia ou ajuda a por e tirar a mesa? Você coloca tudo o que pegou no lugar que estava? Você oferece ajuda nas tarefas seja em casa, na escola ou no trabalho? Você se limita a usar apenas seus objetos pessoais? Você respeita o espaço e os objetos dos outros? Você bate na porta antes de entrar? Você pede licença? Você pede desculpa apenas com um esbarrão leve mesmo que o outro seja um desconhecido? Você limpa os pés no capacho da entrada ou tira os sapatos quando entra numa casa? Você leva a mão à frente da boca quando tosse ou espirra? Você mastiga de boca fechada? Você não bate os talheres no prato enquanto come? Á mesa, você arrota discretamente? Você tem consciência que há um modo de sentar adequado em lugares públicos, na casa dos outros ou quando se recebe visitas?  Estas são apenas algumas das muitas atitudes de alguém educado. Mesmo com pressa, os bons modos sempre estarão ali pois, sempre há tempo para ser educado. Os bons modos refletem muito mais que alguém civilizado... Reflete um universo interior, caráter, sensatez...

Então, quando você ocupa o lugar ou a vaga de idosos e deficientes, quando você fura a fila, quando você joga lixo em vias públicas, quando você fala berrando nas ruas como se estivesse com uma visita na sala de sua casa, quando você se veste parecendo que faltou pano para fabricar sua roupa, quando você deprecia o outro, quando você desisti de levar a carne quando chegou já na boca do caixa e a deixa jogada ali do lado, quando você acredita que falar alto é impor respeito, quando pensa que falar uma lista de palavras chulas mete medo, quando você tira algo de alguém, quando você invade espaço alheio, quando você destrói patrimônio público que é de uso de todos, quando você ouve som no carro ou em casa tão alto que pode ser ouvido no bairro inteiro, é só uma pequena amostra de quanta falta de educação/modos pode existir em uma única pessoa. Quando uma pessoa não tem modos, nem a rede social pode esconder: eles estão entre os atuais críticos sabidos de tudo engolindo inteiro - e sem mastigar - apenas informação oferecida como fast food vencido e nenhum conhecimento de fato.

Você pode vestir roupas de grife, pode frequentar os melhores restaurantes, pode comprar um carro de luxo, pode se cobrir de jóias mas, sem Boas Maneiras, você será apenas mais um que se ilude, achando que ser algo melhor é algo que se veste. O modo como você fala, como você caminha, como você gesticula, seu tom de voz, as palavras que usa pode comprovar sua 'qualidade' e apontar se você possuí ou não bons modos. As Boas Maneiras é algo espontâneo devido ao hábito constante. A pessoa que a possuí será diferenciada, e por mais humilde que seja, transmitirá aquela sensação de que diante de você há um nobre. Sim! Já conheci pessoas analfabetas, com vida muito simples, pobre e extremamente educada refletindo elegância em todos os gestos da pessoa. 

Enquanto se discute a necessidade de tantas mudanças urgentes em nossa Sociedade, não consigo deixar de pensar que nenhuma delas trará soluções se o povo não desenvolver Boas Maneiras. Possuí-la consequentemente te transforma em um cidadão de Bem, em alguém confiável, agradável que todos querem por perto, alguém que não se transforma em cada lugar que está mas, se adapta preservando o que é de fato. Uma pessoa educada sempre terá outro nível e um nível bem superior.

Então, alguém pensará: "Muitas pessoas vem de uma vida sofrida, de uma atmosfera familiar pobre em todos os sentidos, criadas por pais problemáticos, sempre passando necessidade...". Perdoem-me mas, está é apenas mais uma desculpa. Conheço pessoas que passaram por tudo isso e coisas bem piores a estas e ainda assim conseguem desenvolver bons modos: eu sou uma delas. Nenhuma adversidade que passei na vida foi capaz de me moldar a ponto de roubar minha humanidade e minha civilidade para que hoje eu tenha justificativas para me comportar como se eu fosse um bicho recém saído do meio do mato. 

E ai chegamos ao ponto crucial: a seleção natural! Quem nasce predisposto ao Bem, não irá reproduzir o Mal mas, aprenderá com ele a necessidade de ir além e ser cada vez melhor, não para os outros mas, primeiro pra si mesmo. 

Não são as adversidades da vida que geram uma pessoa má... É o que ela carrega dentro de si. Uma pessoa boa vence o Mal com bem! Uma pessoa naturalmente boa não é vencida pelo Mal mas, o vence. E pode observar: está pessoa é extremamente bem educada mesmo que não tenha nascido em 'berço de ouro'!

Não se iluda com a ideia de que o que você possuí, o que você veste, o que você compra, onde você frequenta te torna uma pessoa de nível e dentro dos padrões de qualidade... É sua postura diante de si mesmo e dos outros que determina isso!




Licença Creative Commons
Desassociando Educação de Boas Maneiras‏ de Shimada Coelho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja Bem vindo!
Obrigada por comentar!