Destaque para outras Almas Nuas

Cosméticos Profissionais

Blog Foco na Rotina

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Conhecimento


Os seres humanos acumulam e adoram o conhecimento, não só o conhecimento científico mas também o chamado conhecimento espiritual. Eles acham que o conhecimento é muito importante na vida - o conhecimento do que aconteceu e do que vai acontecer. Todo esse processo de acumular informação, de adoração de conhecimento - não nascerá ele do medo ? Tememos que sem conhecimento fiquemos perdidos, não saibamos nos conduzir.
Assim, lendo o que os sábios disseram, conhecendo as crenças e experiências de outras pessoas e valendo-nos também da nossa própria experiência, construímos gradativamente uma base de conhecimento que se torna tradição; e nos refugiamos atrás dessa tradição.
Achamos que esse conhecimento ou tradição é essencial e que sem isso nos veríamos perdidos, não saberíamos o que fazer.
Ora, quando falamos de conhecimento, o que queremos dizer ? O que é que conhecemos ? Que é que você realmente conhece, quando passa a considerar o conhecimento que acumulou ? Em certo nível, na ciência, na engenharia, etc..., o conhecimento é importante; mas, fora isso, que é que conhecemos ?
Vocês já consideraram esse processo de acumulação de conhecimento ? Por que vocês estudam, por que prestam exames ? O conhecimento é necessário em certo nível, não é ? Sem o conhecimento de matemática e de outras matérias, não se poderia ser engenheiro ou cientista. O relacionamento social baseia-se nesse conhecimento, e nós não poderíamos ganhar a vida sem ele. Mas, além desse tipo de conhecimento, o que é que sabemos ? Além disso, qual é a natureza do conhecimento ?
Que queremos dizer quando falamos que o conhecimento é necessário para encontrar a Deus, ou que o conhecimento é necessário para nos entendermos a nós mesmos, ou que o conhecimento é essencial para encontrarmos um caminho em meio às tormentas da vida ? Aqui damos ao conhecimento o significado de experiência; e o que é experiência ? O que é que conhecemos através da experiência ? Não será esse conhecimento usado pelo ego, pelo 'eu', para fortalecer-se ?
Digamos, por exemplo, que eu tenha alcançado certa posição social. Essa experiência, com sua sensação de sucesso, de prestígio, de poder, me dá uma certa sensação de segurança, de conforto. Assim, o conhecimento do meu sucesso, o conhecimento de que sou alguém, de que tenho certa posição, certo poder, fortalece meu 'eu', meu ego, não é verdade ?
Já perceberam como o conhecimento dá a seus pais e a seus professores a atitude: 'Eu tenho mais experiência do que você; eu sei e você não sabe ? ' Assim o conhecimento , que é mera informação, passa aos poucos a ser o sustento da vaidade, o alimento do ego, do 'eu'. Pois o ego não pode existir sem esta ou alguma outra forma de depêndencia parasítica.
O cientista usa o conhecimento para alimentar sua vaidade, para sentir que é alguém. Professores, pais, gurus - todos querem ser alguém neste mundo, e então usam o conhecimento como um meio para alcançar esse fim, para satisfazer esse desejo; e quando vocês vão além das palavras deles, que é que eles realmente sabem ? Só sabem o que está nos livros, ou aquilo que experimentaram; e a experiência depende de seu condicionamento. Como eles, a maioria dentre nós está cheia de palavras, com informação que chamamos conhecimento, e sem isso nos vemos perdidos; portanto, sempre há medo por trás da cortina de palavras, de informação.
Onde há medo, não há amor; e o conhecimento sem amor nos destrói. Eis o que está acontecendo no mundo atualmente. Por exemplo, temos agora conhecimento suficiente para alimentar os seres humanos de todo o mundo; sabemos como alimentar, vestir e abrigar a humanidade, mas não o estamos fazendo, porque estamos divididos em grupos nacionalistas, cada qual com seus objetivos egoístas.
Se realmente tivéssemos o desejo de acabar com as guerras, poderíamos fazê-lo; mas não temos esse desejo, e pela mesma razão. Portanto, o conhecimento sem amor torna-se um meio de destruição. Enquanto não entendermos isto, passar meramente nos exames e alcançar posições de prestígio e de poder, inevitavelmente levará à deterioração, à corrupção, à lenta atrofia da dignidade humana.
Obviamente, é essencial possuir certo nível de conhecimento, mas é ainda mais importante ver como o conhecimento é usado para servir a propósitos egoístas.
Observem-se a si mesmos e vejam como a experiência é empregada pela mente como meio de auto-expansão, como meio de obter poder e prestígio. Observem os adultos e verão como eles anseiam por posição e se apegam ao sucesso. Eles querem construir um ninho de segurança para si mesmos, querem poder, prestígio, autoridade - e a maioria de nós, de várias formas, está atrás das mesmas coisas. Não queremos ser nós mesmos, seja lá o que formos; queremos ser 'alguém '. Há uma diferença, é claro, entre ser e querer ser. O desejo de ser ou de vir a ser é contínuo e é fortalecido através do conhecimento, que é usado para o engrandecimento próprio.
É importante que todos nós, à proporção que amadureçamos, examinemos esses problemas e os compreendamos, para não respeitarmos uma pessoa só porque ela tem um título ou uma posição elevada ou porque , presumivelmente, possui uma grande soma de conhecimentos. Na verdade, conhecemos muito pouco. Podemos ter tido muitos livros, mas pouquíssima gente tem alguma experiência direta seja do que for. É a experiência direta da realidade, de Deus, que é de vital importância; e, para isso, tem que haver amor.
Krishnamurti
( O Verdadeiro Objetivo Da Vida - págs. 92 a 94 - Edit. Cultrix )

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja Bem vindo!
Obrigada por comentar!