Destaque para outras Almas Nuas

Cosméticos Profissionais

Blog Foco na Rotina

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Taça de Absinto


Esta poesia não faz apologia ao consumo de bebidas alcoolicas: é uma metáfora.
A Taça é a boca, e o Absinto são as palavras.


Transborda esta taça vertendo absinto...
Sorve em beijos depois que torrões adocicados
São banhados de águas salinas que refletem o que sinto
Com estes teus lábios rosados delicados,
Dispensam qualquer um de tantos predicados...
*
Embriaga-te, pois e dança acima das nuvens...
Ou abaixo nos profundos abismos infernais
Absorve-te da Fada Verde sedutora em desdéns
Cujas danças atraem em movimentos abissais,
Causando visões translúcidas boreais...
*
Á saúde com outras taças tilintam agudas
Do fino que é rejeitado por cegos apáticos
Em pequenas doses em bocas bicudas...
Em grandes goles sem medo dos sintomas hepáticos,
Até que os olhos dilatem e tornem-se estáticos...
*
Entontece-te e entrega-te às imagens retorcidas
Que pouco a pouco deixam de ser retrato surreal
Percebe-te a epiderme rasgando-se sendo rompida
Como a virgindade rompe-se em ato sexual,
Despe-te... Revela-te... Numa realidade sem igual...
*
Sinta o fel em gosto amargo no interior da taça
Sinta o doce do primeiro gole molhando o céu
Embriagado saia na chuva e brade em meio a praça:
Meu regurgito também pode ter sabor de mel!
Assim conclui-se ao precipitar o último escuro véu...
*
Espanta-te ao ver saindo da taça como um gênio
A Fada Verde que como vômito causa torpor
Despe-se da casca e revela-se: Eis seu prêmio...
Derrama-se em tantas taças que engolem dor...
Outras engolem néctar com suave odor...
*
Para os servidores subordinados da cegueira ditadora
Embriagues viciante que merece severa punição...
Para os desencarcerados cegos pela luz reveladora
Que lhes ilumina o caminho mesmo ainda que em prisão,
É trampolim para um salto, é vôo alto na imensidão...

São Paulo, 26 de Janeiro de 2009.
Shimada Coelho - Direitos Reservados
Publicado no Recanto das Letras
Protegido com o código T1405357


Creative Commons License
Taça de Absinto by Shimada Coelho is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.

4 comentários:

  1. hummm... poesia um tanto saborosa rsrs...

    ResponderExcluir
  2. PARABÉNS MINHA IRMÃ PELO BELO BLOG,E SUA ORGANIZAÇÃO. TAMBEM PELO SEU TALENTO!

    ResponderExcluir
  3. O Deus de Livramento.

    O Deus de Livranmento
    É o Deus que nós servimos
    Perigo não presentimos
    Mas nos espera um tormento!

    Quantas vezes que passamos
    Em lugares, sem saber
    Que ali ia-mos perecer?...
    Sempre a Deus agradeçamos!!!

    O homem que serve a Cristo,
    Diz-nos o Salmo trinta e sete
    Que o Anjo defende a gente;

    Portanto temos por visto
    Livramentos que Tú deste,
    Meu querido Deus ao crente!

    Autor: Laerço dos Santos.
    http://oagape.blogspo

    ResponderExcluir
  4. Vim deixar-te minha nova escrita em reflexão =D

    "Cada ser humano segue sua vida da forma como acredita que foi destinado. Plante de uma forma mais positiva os sentimentos que deseja colher. Chega de repetições."

    beijooos

    ResponderExcluir

Seja Bem vindo!
Obrigada por comentar!