Destaque para outras Almas Nuas

Cosméticos Profissionais

Blog Foco na Rotina

sábado, 25 de julho de 2009

Indefinido



[Amo essa coisa de Pronomes...
Pré Nomes...
Pós Nomes...

Pessoais...
Indevidos...
Possessivos...
Indefinidos...]


O mundo está me perdendo...
Se é que um dia me teve.
Já não consigo mais ouvir,
Ver ou sentir...
Um manto escuro me cobriu,
O calor evaporou...
No lugar da carne envolvida de músculos,
Ficou um grande pedaço de gelo
Que não se quebra...
Também é pedra!
*
Mas percebo...
Que lá no fundo...
Bem lá no fundo...
Há uma voz teimosa que faz eco.
Ela insiste...
Mas tornou-se incompreensível.
*
Procurei tanto...
Vasculhei...
Peguei caminhos e atalhos...
E me perdi.
Devorei todos os manjares,
Todas as delícias, ora
Em bandeija de prata...
Ora em gamela...
Mas, devorei tudo...
Me fartei...
Para descobrir o quão vazia sou.
*
Observo pessoas caminhando
E formando multidões...
Vejo seus rostos satisfeitos,
Fingindo fazer parte de algo...
Não se pode diferencia-las:
Mesma cor nos cabelos,
Mesmo estilo de roupa,
Mesmo rumo,
Mesmo desejo...
*
São um elo solitário de uma corrente
Que se partiu a muito...
Muito tempo...
Não quero me tornar essa coisa...
Esse robô uniformizado e
Estilizado.
*
Um dia disseram que
Quem está em cima do muro é indeciso,
Não sabe o que pensa,
Não tem opinião...
Inventaram isso para nos obrigar
A escolher um lado.
*
Nenhum dos lados é bom:
Bom mesmo é estar no meio.
Minha mão direita faz coisas,
Que a esquerda jamais faria...
Nenhuma das mãos pode fazer,
O que minha boca,
Ou meus olhos fazem...
*
Quem está no meio tem opções...
Muda sempre de idéia ou não...
Não segue ninguém,
Segue sua vontade,
Seus limites,
Seus desejos e
Sua lógica!
Não quer ser e não é
Igual a ninguém,
Pois é único.
*
E vejo tudo isso e fico confusa...
E vejo os rostos e vejo monstros...
E olho os animais e lamento o trágico fim...
E choro com propaganda de produtos Ypê,
Choro com o filmes de gansos, corujas e Irmão Urso...
E não sou mais capaz dederramar uma lágrima
Pelo ser humano.
*
Um dia,alguém me disse:
" Faça o bem! Você nunca vai ganhar nada com isso!
Mas faça o bem!Pois, quando se faz o mal há troco!"
Então, fugi do mal...
Fugi como se fosse caçada por ele...
Busquei o bem...
Acreditei nele...
Me prostei diante dele...
E o que me restou foi um trapo
Feito trouxa que arrasto por ai,
Vazio.
*
Não ganhei nada com isso...
E o mundo está bem pior...
É o pior lugar para se estar...
Mas, se tivesse seguido o apelo
Sedutor e convidativo do mal...
A muito tempo não estaria mais aqui.

-=Shimada Coelho=-
Respeite os Direitos Autorais

Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T1719212

Creative Commons License
Indefinido by Shimada Coelho is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja Bem vindo!
Obrigada por comentar!