Destaque para outras Almas Nuas

Cosméticos Profissionais

Blog Foco na Rotina

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Amor a minha Realidade Insana com seus Múltiplos Devaneios - For Silvia



Ilha Shimada, Japão. Cartão Postal com reprodução de quadro antigo.



Se há uma pedra no meio do caminho, que pedra afinal será? Se chutarmos, descobriremos. Se a pedra for parte da realidade, fará doer o pé. Se for produto da realidade interior,pode chutar que nunca sairá delá com um chute... O interessante nisso é que tanto uma quanto a outra não estão lá por acaso.

Certa vez, um médico amigo meu discutia comigo sobre Psicopatias e outras 'loucuras'... A questão sanidade e loucura é tão complexa... Depende tanto de interpretação e quão enganosos somos quando interpretamos algo... Mesmo que inconscientemente, nossas interpretações partem do princípio do "Eu" e como queremos ou não ser vistos... Conclui isso em experimentações...

Um profissional da saúde mental especifica sua interpretação baseando-se nas informações que recebeu na universidade que o formou. Muitos limitam-se a isso. Muitos tem os mesmos problemas que os 'reles mortais'.

Não creio em loucura quando falamos em emoção ou psicológico. Se não há uma lesão física cerebral que desencadeie uma disfunção, não creio em loucura alguma.

Emoções e sentimentos são avalanches... Não há uma 'cordinha' para dominar nossas feras e impô-las limites. Nossa necessidade de exteriorizar às vezes é tanta, que pra que segurá-la?

Pra muita gente, loucura é aquilo que não se pode compreender e controlar no outro.
Consideramos louco aquele que ultrapassa os limites que não somos capazes de ultrapassar ou aquele que espontâneamente se permite.Nosso pré julgamento tem muita parcela nisso.

Por muitas vezes, visitei manicônios e presídios... Gosto de observar o comportamento das pessoas. Essa coisa diversa numa mesma espécie me fascina! Não há muita diferença em muitos que estão lá dentro pra muitos que estão aqui fora...

O louco é alguém realmente livre ou realmente prisioneiro e não está num meio termo. Ele se cansa da crueldade realista e se refugia no próprio mundo! Ele se apega a sua fuga mais prazerosa e nela mergulha.

Independente do tipo de 'loucura' determinada, os males,as dores, os motivos, as causas, são as mesmas em todos nós. O que nos difere é o modo como exteriorizamos tudo isso. É como lidamos com tudo, é como nos vemos, nos aceitamos e adaptamos o que somos a essa loucura toda realista.

Real é aquilo que acreditamos... Podemos enxergar ou sentir algo em que não cremos? Real é aquilo que melhor se adapta a nós... Real é nosso eixo de equilíbrio, não de padronização...Real é o que consideramos particularmente nossa verdade... Legal isso tudo, pois podemos e devemos... Foi por isso que criaram leis para o coletivo, os indivíduos são assim mesmo essa maravilha diversificada...

O significado do nome que tanto prezo (Shimada) significa Ilha da Colheita.Muito antes de descobrir isso já me intitulava Ilha. Me isolo, me recolho e se possível me faço caber numa ostra...É bom ser ostra, no meu caso pelo menos... Ostras fechadas estão produzindo pérolas... Ilhas isoladas não tem acesso dos humanos e por isso são melhores preservadas... Não faço drama disto, acho bem engraçado... Pois 'louca' que sou, também adaptei não minha loucura, mas meu modo 'diferente' de interpretar o mundo à realidade.

Nesse período de ausência, um Psiquiatra veio me visitar para saber se eu realmente necessitava de consultas e tratamentos, pois as pessoas à minha volta acreditavam que eu precisava... Minha jornada, tão longa, em conhecer a mim mesma, em descobrir os meios de dominar a mim mesma, de me policiar, de me manter sã não foram consideradas patologias que me levassem a algum tratamento. Para ele, o único problema é que as pessoas à minha volta não conseguem se adaptar ao meu modo de vida, do mesmo modo que eu tento me adaptar.

Ver o mundo como vejo exige grande esforço para adaptar-me à realidade... É meio complicado e se alguém perto de mim tiver a mesma mania de observar, com certeza vai 'pirar'. Não creio no Tempo e portanto isso está meio que visível nas minhas atitudes... Não uso relógio e o Sol me orienta nas fases do dia, pois nele eu acredito. Não como carne e faço discurso na ceia de Natal quando desejo 'bem-vindo' à todos por estarem presente no velório do peru...(Fala sério, parece mesmo um velório com vela e tudo...)... Mandei fechar as grades dos portões não por segurança, mas não gostava que os vizinhos se juntassem enfrente de casa e de lá ficavam olhando minha estranheza como se eu fosse um bicho no zoo. Quando eu saio na calçada é um fato inédito e todo mundo fica sabendo...(Credo!)... Tenho compulsão com cores... Já fiz regressão espontânea para saber em que parte de minha infância isso começou e realmente não sei... Quando penduro roupas no varal eu sigo uma ordem impecável: enfileiram-se por peças, por tamanho, por grupo de cor... Em tudo me oriento assim, por cor, forma e tamanho... Um exemplo típico é que se eu estivesse perdida numa floresta e não tivesse o que fazer, iria recolher todas as folhas no chão e separá-las por tamanho, forma e cor... Até que hoje estou melhor... Se uma cor 'atrapalha' a sequência no meu varal eu resisto bravamente para não mudá-la de lugar...

Um amigo meu esquizofrênico me dizia estar passando por um período tenebroso e sombrio... Ele escreve divinamente! É natural as fases sombrias, ainda mais para quem escreve, para quem tem os sentidos aflorados e tudo absorve, para quem sente intensamente... A tal ‘loucura’ foi dada a alguns para existir poesia, rs. É nas fases tenebrosas que ficamos mais ricos, mais repletos, mais criativos... Sobre o que poderíamos escrever se a vida fosse um ‘mar de rosas’? Água com açucar? A lista de doces gostosos nas vitrines das confeitarias da vida? De todo mel que verte do amor? Credo! Já me encheu de tédio tanto doce, rs.

Insônia já me livrei dela... A depressão já mudei de postura quanto a ela...As manias... Estão aqui... Gosto delas e não prejudicam ninguém, então ficam pois sem elas, será que eu seria eu? (hahahahaha!).

Ás vezes, a realidade externa não está pior que a interna... Mas tudo do lado de fora parece um caos pois reflete o que está dentro de mim... É quando não há em que acreditar nem no que se apegar...

Penso apenas em uma coisa que faz muita coisa passar rápido:"E Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias.""A sabedoria dos homens é loucura para Deus"

Licença Creative Commons
Amor a minha Realidade Insana com seus Múltiplos Devaneios by Shimada Coelho is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas 3.0 Unported License.
Permissions beyond the scope of this license may be available at
http://muraldosescritores.ning.com/profiles/blogs/amor-a-minha-realidade-insana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja Bem vindo!
Obrigada por comentar!