Destaque para outras Almas Nuas

Cosméticos Profissionais

Blog Foco na Rotina

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Conto de Fadas às Avessas




- Mamãe, me conta uma história pra eu dormir?

Ajeitando o cobertor felpudinho, cobrindo até o pescoço roliço, dando um beijo na testa e deitando ao lado:
- Voooocêêê... Estááá pronto?

Um sorriso se escancara mostrando janelinhas e porteiras:
- Tooooo!

Virando-me de lado e o encarando, mantendo uma das mãos livres para encenação:
- Apertem os cintos senhores passageiros...E lá vai nóis! Era uma vez, né?

Uma gargalhada ecoa dando vontade de morder:
- Calma! Economiza a risada, nem comecei!- rindo.

"Era uma vez, né? Em uma linda cidadezinha do interiorrr bem, bem lonjão havia uma menininha branca como a neve que usava um liiindo capuz vermelho e tênis All Star. Ela bem que queria sair com os sapatinhos de cristal, mas a mãe da menina disse que só em dia de missa..."

Meu filho me olha como quem diz: "- Hein? "

"Ela estava perturbando a vida tranqüila da borboleta que voava de flor em flor, quando sua mãe berrou:
- Fofaaa! Criaturaaa!Minha riquezaaa! Coming, please!"

Sorrindo: '- O que isso mamãe?'

Gesticulando com o braço estendido que vem de encontro ao pequeno narizinho: - 'É: Veeeeeeeeeeeenhaaaa!'

-Viu? O senhor vossa excelência me permite continuar?
O sorriso é uma resposta positiva.

- Continuemos... " Coloque o capuz vermelho porque vai esfriar, pegue o guarda-chuva porque vai chover, pegue aquela cesta maior que você em cima da mesa e, vá até a casa de sua avó levar o lanchinho da tarde pra ela... (Mãe gosta de mandar, né?)

- Helooo, mamãe! Como vou levar tuuudo isso até lá? -falava mascando chiclé- E a senhora sabe muito bem que a vovó esconde comida pra todo lado, onde vai o regime dela desse jeito? Não podemos reduzir essa cesta não?

A mãe olhando para cesta e para a menina bocuda retirou apenas algumas guloseimas que dariam apenas para um lanche (não para uma janta), colocou numa cestinha menor e entregou a filha:
- Não esqueça de olhar para os dois lados antes de atravessar a estrada, o Coelho Maluco pode te atropelar de novo... E nada de pegar atalhos!"

- E foi-se embora estrada à fora a baixinha do capuz vermelho... Já dormiu?

Rindo: - Não, conta o resto...

- Tá! "E lá ia a baixinha cantando "I will survive, I will survive...", pegando uma flor aqui, outra lá, quando o caminho se abriu em dois: um era a estrada mais longa, e outra um atalho... Lembrando que atalho são os caminhos que fazem a gente chegar mais rápido! Ela pensou: '- Minha mãe não tá vendo mesmo...'- e seguiu pelo atalho.

Nisso as nuvens ficaram negras - engrossando a voz - se embolavam e o tempo fechou - arregalando os olhos - e a baixinha pensou:- Ufa! Ainda bem que peguei o atalho, vai cair um mó toró!"

- Já dormiu?

- Não, e ai?- rindo.

- Ai né, Ela ia pelo atalho, vez ou outra metia a mão dentro da cesta e fazia uma boquinha, sacumé...

A pequena boquinha rosada de abre numa gargalhada.

- De repentimente, ela encontra com uma Ovelha fofa no meio do caminho que pergunta: '- Mééé, menina bonita, poderia me dizer onde é a estrada dos Carvalhos?

- A menina mede a Ovelha da cabeça aos pés, dos pés a cabeça: '- Olha, to com pressa e minha mãe me disse pra não falar com estranhos.' - e seguiu resmungando enquanto a Ovelha ficou sem compreender: '- Ham, tá pensando que sou boba? Sou muito da esperta! Tenho certeza que era um Lobo disfarçado de Ovelha!'

- Hahahahahahahahahahahaha! Mais! Mais!

- Genteeee, você não dorme menino? Não quer ouvir uma canção japonesa?

- Não, quero historinha!

- Tá bom... Onde eu estava...Ah, sim... "E foi indo ela quando viu ao longe um Lobo tropeçando desengonçado numa pedra e caindo de joelhos. A menina esperta de capuz vermelho correu pra ajudar:

- A dona Ovelha, a senhora se machucou? Bebeu demais, né? -O Lobo olhou assustado para menina e ofendido já abria a boca para responder quando a menina o interrompeu:

- Deve ser difícil pra senhora nessa idade usar esses disfarces de Lobo... Mas o mundo anda tão perigoso, né? Agora mesmo passei por um Lobo disfarçado de Ovelha... Olha que mundo nós estamos...

- O Lobo já ia se irritar quando sentiu aquele cheirinho bom que vinha da cesta..." Já dormiu?

- Hum, hum...

- Presta atenção como as pessoas do mal fazem de conta que são do bem, oh...

- O lobo entrou no jogo da menina: '- Você vê criança, como é a vida...Obrigada pela ajuda viu? Mas o que uma pequena criança tão linda faz caminhando por esses lados uma hora dessas?

- Eu vou levar o lanchinho da tarde pra minha avó.

- Ah, mas é muito perigoso, está longe?

- Nada, logo depois daquela curva ali... (obs: ali de mineiro)

- Então, dona... Tenho que ir logo, a senhora tá bem né?

- Sim, sim, obrigada...- e o Lobo ficava olhando a menina se distanciando, para então segui-la... Ai que medo né?

- Hahahahahaha, não...

- Deve ter caído uma lagartixa no seu prato na hora da janta, que tanto ri?... Ai né?
Chegando lá... Capuz vermelho ficou assustada com o que viu: haviam mais 3 casas vizinhas a casa de sua avó! E pensou: '- Que horror! A civilização já tá chegando aqui... Daqui a pouco a floresta tá toda invadida!'

Chegou na porta da casa da avó e bateu. Uma pessoa que ela nunca viu antes atendeu: - Pois não...

- Cadê minha vó? O que você tá fazendo na casa dela?

- Dona Filomena? É sua avó? Ela se mudou ali para aquela casa do lado... A de alvenaria... E resolveu alugar esta aqui...Vá lá, ela está em casa...- e bateu a porta.

- Gente! Não to entendendo...Porque o mundo me parece tão louco? Minha avó alugou a casa?

- Hahahahahahaahaha! Mamãe, quando a Chapeuzinho descobrir que você mudou os contos de fada...

- Ah, você não vai contar pra ela né? Olha que não conto o resto...

- Não conto não, hahahahahahaha!

- Então tá! E foi a baixinha na casa de alvenaria... Alvenaria é que nem a nossa, tá?
Só que aquela era toda moderna chic e ostentosa...Não bateu palma porque tinha interfone, que a menina apertou morrendo de medo daquilo morder...

- Quem é?

- Vó? Sou eu, vim te trazer seu lanchinho da tarde...

Abriu-se a porta de madeira toda talhada, e surgiu uma velhinha de calça de couro e regata preta:

- E aeeee, princesinha da vó? Tudo a pampa?

- Aaaahahahahahahahaha!

- E tipo... A Capuzinho ficou imóvel, deixou a cesta cair junto com o queixo e arregalou os olhos assim - ( fazendo a cara de Chapeuzinho).

Nisso meu filho mais velho entra e pergunta:
- O que esse menino ri tanto?

- To contando histórinha...

- Ah, quero ouvir também...

- Você já não esta´grande demais pra isso?

- É aquela que você mistura todas as histórias?

- É...

- Então não to, conta!

- Mamãe, porque você mistura as histórias?- pergunta o pequeno.

- Pra quando acabar uma, ninguém me perdir pra contar outra.




==>>Não continua! A história rendeu muita mais, mas é looongaaa...O que importa é o resultado: de tanto rir, até que enfim ele cansou e dormiu!


São Paulo, 16 de Dezembro de 2008.

Licença Creative Commons
Conto de Fadas às Avessas by Shimada Coelho is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas 3.0 Unported License.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://muraldosescritores.ning.com/profiles/blogs/conto-de-fadas-as-avessas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja Bem vindo!
Obrigada por comentar!