Destaque para outras Almas Nuas

Cosméticos Profissionais

Blog Foco na Rotina

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Dê a Si Mesmo a Chance de Viver



Ontem eu não falei sobre o assunto pois, já era noite e sou adepta de sorver à noite apenas conteúdos agradáveis para contribuir para uma boa noite de sono e sonhos tranquilos...

Muitos - ou todos - já viram a notícia da morte de Fausto Fanti, do Hermes e Renato, famosos entre telespectadores da MTV... Até o momento tudo leva a crer que ele se suicidou. Quando fico sabendo que uma pessoa se matou, sempre me abalo. Seja famoso, sejam pessoas comuns, sempre vou me abalar. O ser humano foi feito pra viver embora o dia de partir deste mundo chegue para tudo que é vivo...

Eu fico longos períodos pensando em muitas coisas... Eu sei bem o que é o desejo desesperado de morrer: a morte parece ser o único evento capaz de dar fim a dores intensas e problemas que naquele momento parecem sem solução. E ao longo da vida conheci muitos suicidas - tendo casos entre parentes - e aprendi muito com eles sobre Morte e Vida...  Também penso na predisposição humana de querer soluções imediatas e conclusões rápidas como se tudo fosse um pacote de macarrão instantâneo. Esta predisposição que desvia o olhar do foco e nos leva a buscar sempre os atalhos, nos dando a ilusão de que a satisfação está na chegada, no alcance do objetivo quando está no primeiro passo dado - quando tudo à frente começa a se transformar - e o prazer estará sempre no trajeto a percorrer... 

Não somos apenas limitados... Nem apenas ingratos... Somos também muito inseguros quanto a nós mesmos.  Passamos a maior parte de nossas vidas nos cobrando, nos depreciando e nos perdendo: não acreditamos tanto em nós mesmos como gostaríamos que as pessoas acreditassem...

Então, penso também como de repente, o homem não seria um tanto injustiçado neste mundo. O mundo mudou, a sociedade - mesmo que superficialmente - se renovou em alguns aspectos, a mulher supostamente se tornou independente e liberou-se mas, os homens ainda estão há séculos atrás, sendo cobrados o tempo  todo. Todo o mal do mundo é atribuido a ação do homem, como se mulher nunca fosse capaz de desenvolver maldade...  (Neste trecho, nenhuma afirmação, apenas uma de tantas reflexões que passam pela minha mente). A mulher nasceu assim tão multifuncional graças as aptidões cerebrais e um algo mais que a torna todo este universo fantástico: intuição, sexto sentido ou seja lá o que isto seja. Já o homem é - e precisa ser - na sociedade tão racional... Precisa manter sua imagem e masculinidade... E será que alguém para pra pensar na fragilidade emocional do homem? 

As notícias de homens matando mulher, ex mulher e filhos por causa de um abalo emocional está constante. Não é de hoje que pessoas com o coração partido se matam. Não importa quanta 'independência' um indivíduo diz ter alcançado, todos nós buscamos nesta vida Amor, não outra coisa. Todos nós somos dependentes emocionais e quando o coração se parte, o chão some!

Não é preciso descorrer o porque não se deve matar: todos nascemos com o direito a Vida, e por isso nascemos. Tirar a vida de outra pessoa é um ato de total ingratidão ao próprio direito de existir. Mas, quando alguém tira a própria vida, é muito mais complexo...

Em um instante, uma fração de segundos, um impulso acaba com qualquer chance de que aquilo que não está bem, mude. Não tiramos apenas nossa própria Vida: tiramos todas as oportunidades de mudança... O suicídio é como um aborto: você nunca saberá que tipo de pessoa aquele feto se tornaria, nem tão pouco que tipo de contribuição ele poderia dar ao mundo. A Vida sempre se abre a nós como um leque de opções, caminhos, portas, oportunidades... O suicídio nos rouba o direito de saber como seria se continuássemos vivendo.

Eu pessoalmente, creio em vida após esta vida. Não desenvolvo o sentimento enlutado porque creio que ninguém morre: o corpo se transforma e a essência volta ao seu lugar de origem. Por isso, acredito também que seu destino depois de passar por este mundo, ou pode te trazer de volta a ele - que não estará do mesmo modo que estava quando o deixou - ou, poderá ficar preso em um lugar onde não deveria estar, pois, não é este seu local de origem...

Não acredito que todo suicída vá para um Inferno: o único inferno em que acredito é este que existe dentro de nós. Mas, acredito que estamos neste mundo de passagem... Por algum motivo que esquecemos, tivemos que vir para este mundo - Berçário de todos os Mundos - para resgatar nosso direito de permanecer no nosso lugar de origem. Por isso, não funciona bem assim "tanto faz"... Não é porque pode não existir um Inferno que podemos ser tão negligêntes com nossa existência. Os fardos que nos pesam e que são tão inexplicáveis e parecem não ter solução podem ser uma marca de um passado remoto... Se aqui neste mundo tudo o que semeamos vamos plantar e a existência não acaba aqui, o que estamos levando para a outra vida?

Veja bem... Não estou tentando dizer que se você se matar irá para o Inferno porque não vai: isto é uma ideia implantada nos tempos em que a crença religiosa era imposta e mantida sob tortura para que torturados não se matassem se livrando da agonia. Não estou tentando dizer que existe carma e que em outra vida você vai herdar as marcas do seu suicidio...

Estou tentando dizer que não importa para onde você corra, você não vai se livrar daquilo que precisa enfrentar: se não enfrentar nesta vida, enfrentará em outra! Por isso, existem questões repetitivas, que sempre retornam: são evitadas ao longo da vida e nos deparamos com elas em outras vidas.

Um dia, um suicida  ameaçava se matar enquanto falava comigo. Eu tentava convencê-lo de não continuar. Ele me disse uma frase que jamais esqueci: "Sofrimento não se mede! Não se compara". O que é simples pra mim suportar, pode ser muito doloroso pra você mas, sofrimento é sofrimento, dor é dor. Cada um sente com uma intensidade - mais ou menos - mas, não deixa de ser sofrimento. No fundo, quem quer se matar não quer morrer. Mas às vezes, a dor é grande demais pra continuar sentindo... Ás vezes, não vemos a luz no fim do túnel... Naquele momento, parece que não vai ter jeito.

Há um mês e meio pensei em escrever esta mensagem, por causa das tantas notícias que chegaram até mim sobre jovens que se suicidaram. Detesto exposição, não sou de contar sobre minha vida pessoal embora minha vida seja tão rica de todo tipo de experiências mas abro uma exceção como um apelo a quem pensa em se matar... 

Os médicos diziam: "Uma vez suicida, mesmo que pare de tentar, sempre suicida!". Então, sou suicida. A primeira tentativa foi aos 12 anos de idade e por longos anos meu único foco era resistir ao desejo de morrer. Até que certo dia, apesar de tudo continuar do mesmo modo e sem aparente chance de mudanças, decidi fazer uma escolha. Eu nunca iria saber se tudo aquilo teria jeito se eu morresse. Eu jamais saberia até onde poderia chegar estando morta. 

Há mais de 15 anos eu não tento me matar. E há mais de 20 eu tenho assistido minha vida mudando sutilmente e constantemente. Cheguei muito além de onde pensei que chegaria. Vivi oportunidades que jamais pensei que pudesse experimentar. 

Nestes mais de 15 anos, o desejo retornou muitas vezes mas, como foi fácil dizer "Não! Quero viver!". E como quero viver! E você pode estar pensando o que todo suicida determinado pensa: "Você não sabe o que estou passando! Você não tem ideia do que sinto!". Verdade, nunca saberei mas, sofrimento não se mede!

Se eu tivesse consiguido morrer, eu jamais teria vivido todas as maravilhas que vivi! Se eu tivesse morrido, eu jamais teria conseguido chegar até aqui. E o que fiz foi só resistir ao desejo de morte e querer viver! Do mesmo modo que um doente terminal luta para continuar vivo, eu lutei. Não precisei fazer força para mudar minha vida, apenas vivi um dia após o outro e busquei em cada dia nem que fosse um único sentido um único encanto!

Hoje, sou grata por estar viva. E ao longo dos anos, passei por muitas situações delicadas e difíceis mas, venci todas elas pois, estava mais forte! Hoje, quero viver e espero que eu não morra tão cedo... Licença Creative Commons

Dê a Si Mesmo a Chance de Viver de Shimada Coelho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja Bem vindo!
Obrigada por comentar!